festa junina

Existe vida após o intercâmbio

1 year ago

Eu pensei que não teria, mas tem! Existe sim vida após o intercâmbio e a minha tem sido bem legal.

Depois de dois meses exatos que deixei a Irlanda, venho falar da minha readaptação com um pouco mais de propriedade. No começo é foda, vou até colocar um FODA com a letra maiúscula porque é foda mesmo, (eu já citei aqui em um outro texto que fiquei com depressão nos meus 15 primeiros dias), mas depois vai passando e as coisas vão voltando para sua normalidade.

Hoje estou me sentindo bem melhor, a vida já começou a andar nos trilhos. É meio que natural, mas com toda certeza é necessário tempo e determinação, porque dá vontade sim de sair correndo e pegar o primeiro avião para qualquer lugar do mundo.

E neste caminhado da vida eu já dei meu jeito, já voltei a trabalhar, com um mês certinho de Brasil fui contratada (depois conto para vocês disso), já revi os amigos, já fui em alguns lugares em BH que eu gosto, já comi feito uma porca (e não, não engordei), já fui em muita festa de família e a vida tem seguido.

festa junina

*Festa de aniversário da minha amiga Pri, comemoramos de caipira, está aí uma das delícias do Brasil. Fotinha só para mostrar que estou vivendo e que não está tão complicado assim.

Ainda não me acostumei com o fuso horário, sigo dormindo cedo e acordando mais cedo ainda, antes das 6 da manhã já estou acordada, todos os dias. Continuo com pavor da violência do Brasil, gente está violento mesmo, isso assusta muito para quem esteve fora por algum tempo. Estou tentando não perder os bons costumes que adquiri fora, continuo falando sorry para tudo, pedir desculpas de uma maneira educada evita muitos transtornos, vai por mim. Tentando também me acostumar com o jeitinho brasileiro, brazucada e suas manias.

Ontem dei um passo importante, comprei um chip de celular, haha, acreditem que até hoje estava sem telefone… como disse, as coisas se acertam no seu tempo.

Para concluir, eu estou tentando usar tudo que aprendi na Ilha Esmeralda na minha nova vida no Brasil, não tem sido fácil, mas também não tem sido impossível. Estou feliz de ter voltado, não me arrependi em momento nenhum da minha escolha e sigo sem sentir falta da Irlanda, sinto somente gratidão.

Enquanto isso, vamos colocar  o nosso batom na mala e seguir a nossa viagem.

Alessanda Assis | Batom na Mala

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *