Pubs na irlanda

Aquele do: Nosso Primeiro Encontro

2 years ago

Recém chegado em Dublin e nenhum amigo por perto para bater papo, resolvo me aventurar e saio a andar pela cidade com a intenção de conhecer um pouco das pessoas, seus hábitos e cultura local.

Estava eu a passear pela famosa região do Temple Bar, quando vejo um Pub recheado de pessoas típicas da cidade. Foi a primeira vez que vi tanto cabelo ruivo e olhos azuis juntos de uma vez.

Ao entrar, descubro que a razão para tantas pessoas assim seria o fato dos irlandeses estarem acompanhando pela televisão uma partida de “Rugby”, jogo tradicional aqui na Irlanda. Para meu espanto e assim como no Brasil, todos estavam torcendo honrosamente, afinal de contas era a final entre Irlanda e Inglaterra, tipo um clássico Brasil e Argentina.

Então, já dentro do Pub, procuro me acomodar próximo ao balcão para tentar entender um pouco desse jogo tão estranho e violento. Em poucos minutos eu já estava abismado com a partida, não conseguia compreender como os jogadores não sentiam tamanha dor com tanto empurra, empurra e agressão física. Apesar das roupas e acessórios de proteção, um dos jogadores saiu com a perna quebrada e eu me perguntava se era futebol mesmo ou luta livre no meio do campo!

Rugby Irlanda* Um jogo de Rugby, Irlanda x Inglaterra – Foto da Intenet.

Mas como a Lei de Murphy existe, em pouco tempo fui trocado pelas costas e ao me virar reencontro uma amiga do Brasil que não via a anos. Descubro que ela, assim como eu, também está aqui na Irlanda realizando o seu intercambio. Alívio total, afinal de contas não estou mais tão sozinho nessa terra completamente diferente do meu país.

Embora no Brasil não tínhamos muito contato, encontrá-la ali, naquele momento e naquela situação, foi como achar uma agulha no palheiro literalmente.

Em pouco tempo começamos a colocar o assunto em dia e gentilmente a ofereço um drink, afinal de contas eu mal cheguei e fui abordado por uma linda mulher em uma terra desconhecida, nada melhor que festejar. Sem por demoras começamos a falar de tudo, da viagem, da chegada, do intercambio e das pessoas.

Conversamos um pouco e confesso, fiquei encantado com tanta informação e fascinado com as possibilidades que o intercambio poderá me proporcionar no futuro. Nunca imaginei reencontrar uma amiga de anos em outro país o que dirá em outro continente. Realmente é nessas horas que penso, “O mundo é uma ervilha e é a gente que não sabe disso”.

Após tanto diálogo, fui obrigado a questionar se ela também estaria sozinha naquele Pub e a convido para ficar comigo, mas ela me disse que não estava sozinha e sim com amigas e logo em seguida aponta para mesa onde se encontra as outras garotas.

Gentilmente, ela me convida para fazer parte do grupo a mesa e eu sem questionar muito aceito, afinal de contas o sozinho naquela situação era eu.

Atravessamos o salão rodeado de nativos, porque agora os gringos da vez somos nós e em questão de segundos já estou ali junto delas sendo apresentado uma a uma.

Jogo de rugby na irlanda* Quando tem jogo de Rugby geralmente os pubs ficam assim, lotados!

Ao questionar o que seis lindas mulheres estariam fazendo em um Pub, lotado de homens assistindo a uma partida de Rugby,(no qual nós nunca havíamos ouvido falar ou se quer as suas regras), resposta veio em coro, “procurando um corpinho”.

Claro que naquele momento lembrei, que mulher brasileira é esperta em qualquer lugar do mundo e a melhor forma de encontrar um bom partido é frequentar o seu habitat natural. Logo em seguida também sou questionado sobre o que eu estaria fazendo ali, ainda mais sozinho, e da mesma forma eu respondo “o mesmo”, afinal de contas eu sou gay.

Nesse momento começamos a rir muito, pois ao contrário do Brasil, aqui na Irlanda não existe um rótulo de gay frequenta lugares gays e hétero frequenta lugares héteros, aqui é tudo junto e misturado.

Quando me dou por conta já estou íntimo das meninas e entre um drink e outro, acabamos contando um pouco de nossas vidas pré e pós intercambio. Conheço um pouco da vida de cada uma e aos poucos vamos nos fortalecendo e formando uma aliança. Para quem pensa em fazer intercambio, tenho de comentar que fazer amizade no exterior é mais fácil e rápido que qualquer outro lugar do Brasil, pois estamos só nós e Deus, pois amigo não é que nem família que nasce junto, amigo a gente escolhe e ter escolhido elas como amigas, foi a melhor coisa do mundo naquele momento.

Com tanta animação entre eu e as meninas, percebo que nossa mesa começa a atrair os olhares masculinos das mesas vizinhas, afinal de contas o que um homem, embora gay, sozinho faz acompanhado de seis lindas e simpáticas mulheres. Motivo de causar inveja a eles que em um primeiro momento estavam mais interessados na partida de futebol do que ao sexo oposto, já que o gay ali era eu.

Nós nos divertimos muito e eu amei conhecer todas. Agora sei que não estou mais tão sozinho nessa ilha, tenho com quem contar nas horas em que eu precisar, garotas para me alegrar quando eu estiver triste, me dar conselhos, dicas e por aí vai.

amizade no intercambio* Imagem da Internet.

A experiência desse encontro foi tão eletrizante que uma das meninas ou melhor a dona desse blog me convidou para dividir um pouco da minha história e vivencias com vocês. Afinal de contas qual mulher não gostaria de ter um amigo gay?

E é disso que eu vou falar nas próximas crônica no novo quadro desse blog “Crônicas do Amigo Gay”, porque toda mulher que se preze, tem um.

Agora é só aguardar pela minha, a dela ou quem sabe as nossas aventuras e claro acompanhado com o batom na mala de vocês.

Beijos do seu amigo gay.

——-

Os textos publicados neste quadro “Crônicas do meu amigo gay” são de resposabilidade do Autor convidado.

Enquanto isso, vamos colocar o nosso batom na mala e seguir a nossa viagem.

Alessanda Assis | Batom na Mala

4 thoughts on “Aquele do: Nosso Primeiro Encontro”

  1. Olha ele aiiiiii!!!!!!!
    Bem vindo hahaha, estava ansiosa por suas crônicas!!!
    Olha a sincronicidade do encontro de vcs, é lindo como a vida tem o poder de unir as pessoas em momentos oportunos e inesperados!
    Bjoos
    Sigo acompanhando…..

    1. Ei Rafa, quando você menos espera a vida te dá um grande presente, você vai ver como os amigos aqui se tornam uma parte fundamental para a felicidade do seu intercâmbio.
      Obrigada pelo carinho com o meu amigo, ele agradece!
      Bjim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *